domingo, 10 de junho de 2012

Apetece-me...


“Apetece-me ir para junto de ti.
Agora. Neste instante. Sem mais demoras.
Apetece-me tanto ir para junto de ti.
Assim, num piscar de olhos. Num bater de dedos.
Apetece-me tanto cobrir-te os ombros de beijos, passar os lábios pelo teu pescoço e segredar-te ao ouvido palavras de afecto.
Vou aproveitar também para te revelar segredos recuperados, contar-te histórias com final feliz, cantar-te baladas de amores mantidos secretos, murmurar-te viagens a fazer, relatar-te sonhos tidos quando descansei junto a ti, e tudo isto com a lucidez de quem reconhece no teu olhar a existência de perguntas por fazer.
Como me apetece ir para junto de ti !
Não te preocupes que não precisas de te desculpar pela desarrumação do teu quarto.
Eu ajudo-te a amontoar as roupas e os livros aos pés da cama para poder deitar-me ao teu lado e descansar da viagem.
Apetece-me tanto ir para junto de ti.
Abraçar-te até que nada mais faça sentido senão tomar-te os lábios e construir um beijo, demorado e sentido, como tudo aquilo que é feito para resgatar emoções no tempo.
Por vezes, a minha vontade de estar contigo é tão grande que me deito no chão, fixo os olhos no tecto e deixo-me transportar numa mistura de sonhos e realidade, ali onde o que desejo se confunde com aquilo que sinto.
Sabes uma coisa ?
Apetece-me tanto ir para junto de ti que sou mesmo capaz de o fazer.
Agora. Neste instante. Sem mais demoras.
E sabes porquê ?
Porque percebi que se não faço o que quero, acabo sempre por fazer o que não quero.
E eu quero muito estar agora junto de ti !”

José Micard Teixeira

Sem comentários: