quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

No Amor Começa-se Sempre a Zero

Fazer um registo de propriedade é chato e difícil mas fazer uma declaração de amor ainda é pior. Ninguém sabe como. Não há minuta. Não há sequer um despachante ao qual o premente assunto se possa entregar. As declarações de amor têm de ser feitas pelo próprio. A experiência não serve de nada — por muitas declarações que já se tenham feito, cada uma é completamente diferente das anteriores. No amor, aliás, a experiência só demonstra uma coisa: que não tem nada que estar a demonstrar coisíssima nenhuma. É verdade — começa-se sempre do zero. Cada vez que uma pessoa se apaixona, regressa à suprema inocência, inépcia e barbárie da puberdade. Sobem-nos as bainhas das calças nas pernas e quando damos por nós estamos de calções. A experiência não serve de nada na luta contra o fogo do amor. Imaginem-se duas pessoas apanhadas no meio de um incêndio, sem poderem fugir, e veja-se o sentido que faria uma delas virar-se para a outra e dizer: «Ouve lá, tu que tens experiência de queimaduras do primeiro grau...»

Pode ter-se sessenta anos. Mas no dia em que o peito sacode com as aurículas a brincar aos carrinhos-de-choque com os ventrículos, Deus Nosso Senhor carrega no grande botão «CLEAR» que mandou pôr na consola consoladora dos nossos corações. Esquece-se tudo. Que garfo usar com o peixe. Que flores comprar. Que palavras dizer. Que gravata com que raio de casaco hei-de usar? Sabe-se nada. Nicles.
Olha-se para as mãos e parece uma cena de transformação dum filme de lobisomens — de onde outrora havia aqueles dedos tão ágeis e pianistas, brotam dez abortos de polegares. E o vinho entorna-se só de pensar nisso. E as solas dos sapatos passam a atrair magneticamente todos os excrementos caninos da cidade. E a voz que era toda FM Estéreo da Comercial quando vai para dizer «Gosto muito de ti» fica repentinamente Abelha Maia.
Tenha-se 17 ou 71 anos, regressa-se automaticamente aos 13 — à terrível idade do Clearasil e das sensações como que de absorção. Quem se apaixona dá mesmo saltos no ar e diz «Uau!» quando o Pai deixa usar a pasta de dentes dele. Qual «ternura dos quarenta», qual bota da tropa cheia de minhocas! O amor é sempre uma anormalidade que provoca graves atrasos mentais.

Miguel Esteves Cardoso, in 'Os Meus Problemas'

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

O Beijo

Beijo é maravilhoso porque você interage com o corpo do outro sem deixar vestígios, é um mergulho no escuro, uma viagem sem volta. Beijo é uma maneira de compartilhar intimidades, de sentir o sabor de quem se gosta, de dizer mil coisas em silêncio. Beijo é gostoso porque não cansa, não engravida, não transmite o HIV. Beijo é prático porque não precisa tirar a roupa, não precisa sair da festa, não precisa ligar no dia seguinte. E sem essa de que beijo é insalubre porque troca-se até 9 miligramas de água, 0,7 grama de albumia, 0,18 de substâncias orgânicas, 0,711 miligrama de matérias gordurosas e 0,45 miligrama de sais, sem contar os vírus e as bactérias. Quem está preocupado com isso? Insalubre é não amar.

Martha Medeiros

sábado, 17 de dezembro de 2011

10.000 Visitas!?!?!?

Nunca pensei que este meu Cantinho atingisse esta marca mas a verdade é que sim... mesmo não tendo muito tempo para cuidar dele e de quem me visita. Muita coisa aconteceu desde o nascimento do Cupido Fanfarrão, em Abril, mas aqui estamos, sempre sacudindo a poeira das quedas que damos e continuando em frente em busca da Felicidade. Sinto-me orgulhosa e super babada com estas 10.000 Visitas, feliz pelas bonitas amizades que têm surgido na Blogosfera, na camaradagem que existe entre Bloggers, por tudo o que aprendo dos outros.
Obrigada por tudo, por estarem aqui nos bons e maus momentos. O Cupido Fanfarrão é construído a cada dia com carinho, amizade, ternura e muito amor. Para vocês e para mim... 

10.000 Beijos Hiper Fanfarrões para todos vocês e fiquem na Paz do Amor.
**************************

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

The Gift Primavera

Ser Feliz...

Ser feliz é ter futuro e é dar futuro. Todos pensamos ser felizes e acordamos todos os dias com esse desejo. Mas ser feliz não é uma sorte, nem é ausência de problemas. É viver com sentido, com coragem, construindo o futuro e dando futuro. Isso depende de mim.

Era uma vez um homem que corria e corria pela vida... A vida era curta e necessitava de correr muito para gozar muito e ser feliz. E quanto mais corria, mais necessitava de correr! Descobria sempre mais lugares para visitar! Necessitava encontrar tudo e gozar de tudo. Até que um dia, cansado de tanto correr, parou. Então, a felicidade pôde alcançá-lo.

(Padre) Vasco Pinto de Magalhães, in 'Não Há Soluções, Há Caminhos'

sábado, 10 de dezembro de 2011

É Proibido

É proibido chorar sem aprender,
Levantar-se um dia sem saber o que fazer
Ter medo de suas lembranças.

É proibido não rir dos problemas

Não lutar pelo que se quer,
Abandonar tudo por medo,

Não transformar sonhos em realidade.

É proibido não demonstrar amor
Fazer com que alguém pague por tuas dúvidas e mau-humor.
É proibido deixar os amigos

Não tentar compreender o que viveram juntos

Chamá-los somente quando necessita deles.
É proibido não ser você mesmo diante das pessoas,
Fingir que elas não te importam,

Ser gentil só para que se lembrem de você,

Esquecer aqueles que gostam de você.
É proibido não fazer as coisas por si mesmo,
Não crer em Deus e fazer seu destino,

Ter medo da vida e de seus compromissos,

Não viver cada dia como se fosse um último suspiro.
É proibido sentir saudades de alguém sem se alegrar,

Esquecer seus olhos, seu sorriso, só porque seus caminhos se

desencontraram,
Esquecer seu passado e pagá-lo com seu presente.
É proibido não tentar compreender as pessoas,
Pensar que as vidas deles valem mais que a sua,

Não saber que cada um tem seu caminho e sua sorte.

É proibido não criar sua história,
Deixar de dar graças a Deus por sua vida,

Não ter um momento para quem necessita de você,

Não compreender que o que a vida te dá, também te tira.
É proibido não buscar a felicidade,

Não viver sua vida com uma atitude positiva,

Não pensar que podemos ser melhores,
Não sentir que sem você este mundo não seria igual.

Pablo Neruda

domingo, 4 de dezembro de 2011

Quem disse que a Felicidade causa inveja não gostava verdadeiramente dos seus amigos. Fico feliz ao ver a felicidade de quem me rodeia, quando alguém de quem gosto encontra o Amor onde menos espera, e eu fico de longe, testemunha de algo bonito a acontecer, com um sorriso matreiro e meio desbocada... a torcer para que elas  sejam capazes de ultrapassar todos os obstáculos desta vida complicada e louca...e se vocês estão felizes eu também!!!

terça-feira, 29 de novembro de 2011

Precisa-se

Sendo este um jornal por excelência, e por excelência dos precisa-se e oferece-se, vou pôr um anúncio em negrito: precisa-se de alguém homem ou mulher que ajude uma pessoa a ficar contente porque esta está tão contente que não pode ficar sozinha com a alegria, e precisa reparti-la. Paga-se extraordinariamente bem: minuto por minuto paga-se com a própria alegria. É urgente pois a alegria dessa pessoa é fugaz como estrelas cadentes, que até parece que só se as viu depois que tombaram; precisa-se urgente antes da noite cair porque a noite é muito perigosa e nenhuma ajuda é possível e fica tarde demais. Essa pessoa que atenda ao anúncio só tem folga depois que passa o horror do domingo que fere. Não faz mal que venha uma pessoa triste porque a alegria que se dá é tão grande que se tem que a repartir antes que se transforme em drama. Implora-se também que venha, implora-se com a humildade da alegria-sem-motivo. Em troca oferece-se também uma casa com todas as luzes acesas como numa festa de bailarinos. Dá-se o direito de dispor da copa e da cozinha, e da sala de estar. P.S. Não se precisa de prática. E se pede desculpa por estar num anúncio a dilacerar os outros. Mas juro que há em meu rosto sério uma alegria até mesmo divina para dar.
Clarice Lispector

sexta-feira, 25 de novembro de 2011

Perguntas

Quantas vezes você andava na rua e sentiu um perfume e lembrou de alguém que gosta muito?
Quantas vezes você olhou para uma paisagem em uma foto, e não se imaginou lá com alguém...
Quantas vezes você estava do lado de alguém, e sua cabeça não estava ali?
Alguma vez você já se arrependeu de algo que falou dois segundos depois de ter falado?
Você deve ter visto que aquele filme, que vocês dois viram juntos no cinema, vai passar na TV...
E você gelou porque o bom daquele momento já passou...
E aquela música que você não gosta de ouvir porque lembra algo ou alguém que você quer esquecer mas não consegue?
Não teve aquele dia em que tudo deu errado, mas que no finzinho aconteceu algo maravilhoso?
E aquele dia em que tudo deu certo, excepto pelo final que estragou tudo?
Você já chorou por que lembrou de alguém que amava e não pôde dizer isso para essa pessoa?
Você já reencontrou um grande amor do passado e viu que ele mudou?
Para essas perguntas existem muitas respostas...
Mas o importante sobre elas não é a resposta em si...
Mas sim o sentimento...
Todos nós amamos, erramos ou julgamos mal...
Todos nós já fizemos uma coisa quando o coração mandava fazer outra...
Então, qual a moral disso tudo?
Nem tudo sai como planeamos portanto, uma coisa é certa...
Não continue pensando em suas fraquezas e erros, faça tudo que puder para ser feliz hoje!
Não deite com mágoas no coração.
Não durma sem ao menos fazer uma pessoa feliz!
E comece com você mesmo!!!

Martha Medeiros

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Para viver um Grande Amor

É preciso abrir todas as portas que fecham o coração.
Quebrar barreiras construídas ao longo do tempo,
Por amores do passado que foram em vão
É preciso muita renúncia em ser e mudança no pensar.
É preciso não esquecer que ninguém vem perfeito para nós!
É preciso ver o outro com os olhos da alma e se deixar cativar!
É preciso renunciar ao que não agrada ao seu amor...
Para que se moldem um ao outro como se molda uma escultura,
Aparando as arestas que podem machucar.
É como lapidar um diamante bruto...para fazê-lo brilhar!
E quando decidir que chegou a sua hora de amar,
Lembre-se que é preciso haver identificação de almas!
De gostos, de gestos, de pele...
No modo de sentir e de pensar!
É preciso ver a luz iluminar a aura,
Dando uma chance para que o amor te encontre
Na suavidade morna de uma noite calma...
É preciso se entregar de corpo e alma!
É preciso ter dentro do coração um sonho
Que se acalenta no desejo de: amar e ser amada!
É preciso conhecer no outro o ser tão procurado!
É preciso conquistar e se deixar seduzir...
Entrar no jogo da sedução e deixar fluir!
Amar com emoção para se saber sentir
A sensação do momento em que o amor te devora!
E quando você estiver vivendo no clímax dessa paixão,
Que sinta que essa foi a melhor de suas escolhas!
Que foi seu grande desafio... e o passo mais acertado
De todos os caminhos de sua vida trilhados!
Mas se assim não for...
Que nunca te arrependas pelo amor dado!
Faz parte da vida arriscar-se por um sonho...
Porque se não fosse assim, nunca teríamos sonhado!
Mas, antes de tudo, que você saiba que tem aliado.
Ele se chama TEMPO... seu melhor amigo.
Só ele pode dar todas as certezas do amanhã...
A certeza que... realmente você amou.
A certeza que... realmente você foi amada."

Carlos Drummond de Andrade

domingo, 13 de novembro de 2011

Que farei no outono quando ardem
as aves e as folhas e se chove
é sobre o corpo descoberto que arde
a água do outono

Que faremos do corpo e da vontade
de o submeter ao fogo do outono
quando o corpo se queima e quando o sono
sob o rumor da chuva se desfaz

Tudo desaparece sob o fogo
tudo se queima tudo prende a sua
secura ao fogo e cada corpo vai-se

prendendo ao fogo raso
pois só pode
arder imerso quando tudo arde

Gastão Cruz, in "As Aves"

quarta-feira, 9 de novembro de 2011

Quando duas pessoas fazem amor
Não estão apenas fazendo amor
Estão dando corda ao relógio do mundo
 
Mário Quintana

sábado, 5 de novembro de 2011

Dizem que a gente tem o que precisa. Não o que a gente quer. Tudo bem. Eu não preciso de muito. Eu não quero muito. Eu quero mais. Mais paz. Mais saúde.Mais dinheiro. Mais poesia. Mais verdade. Mais harmonia. Mais noites bem dormidas. Mais noites em claro. Mais eu. Mais você. Mais sorrisos, beijos e aquela rima grudada na boca. Eu quero nós. Mais nós. Grudados. Enrolados. Amarrados. Jogados no tapete da sala. Nós que não atam nem desatam. Eu quero pouco e quero mais. Quero você. Quero eu. Quero domingos de manhã. Quero cama desarrumada, lençol, café e travesseiro. Quero seu beijo. Quero seu cheiro. Quero aquele olhar que não cansa, o desejo que escorre pela boca e o minuto no segundo seguinte: nada é muito quando é demais.

Caio Fernando Abreu

segunda-feira, 31 de outubro de 2011

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Carta de Amor

Eu sabia que seria apenas depois de te teres ido embora que iria perceber a completa extensão da minha felicidade e, alas! o grau da minha perda também. Ainda não a consegui ultrapassar, e se não tivesse à minha frente aquela caixinha pequena com a tua doce fotografia, pensaria que tudo não teria passado de um sonho do qual não quereria acordar. Contudo os meus amigos dizem que é verdade, e eu próprio consigo-me lembrar de detalhes ainda mais charmosos, ainda mais misteriosamente encantadores do que qualquer fantasia sonhadora poderia criar. Tem que ser verdade. Martha é minha, a rapariga doce da qual todos falam com admiração, que apesar de toda a minha resistência cativou o meu coração logo no primeiro encontro, a rapariga que eu receava cortejar e que veio para mim com elevada confiança, que fortaleceu a minha confiança em mim próprio e me deu esperanças e energia para trabalhar, na altura que eu mais precisava.

Quando tu voltares, querida rapariga, já terei vencido a timidez e estranheza que até agora me inibiu perante a tua presença. Iremos sentar-nos de novo sozinhos naquele pequeno quarto agradável, vais-te sentar naquela poltrona castanha , eu estarei a teus pés no banquinho redondo, e falaremos do tempo em que não existirá diferença entre noite e dia, onde não existirão intrusos nem despedidas, nem preocupações que nos separem.

A tua amorosa fotografia. No início, quando eu tinha o original à minha frente não pensei nada sobre a mesma; mas agora, quanto mais olho para ela mais esta se assemelha ao objecto amado; espero que o rosto pálido se transforme na cor das nossas rosas, e que os braços delicados se desprendam da superfície e prendam a minha mão; mas a imagem preciosa não se move, parece apenas dizer: «Paciência! Paciência” Eu sou apenas um símbolo, uma sombra no papel; a tua amada irá voltar, e depois podes negligenciar-me de novo».

Eu gostaria imenso de colocar esta fotografia entre os deuses da minha casa que pairam acima da minha secretária, mas embora eu possa mostrar os rostos severos dos homens que reverencio, quero esconder a face delicada da minha amada só para mim. Vai continuar na tua pequena caixinha e eu não me atrevo a confessar a quantidade de vezes, nestas últimas vinte e quatro horas, que tranquei a minha porta para poder tirar a fotografia da caixa e refrescar a minha memória.

Carta de Sigmund Freud a Martha Bernays, 19 de Junho 1882 (excerto)

domingo, 23 de outubro de 2011

Para Sempre no meu Coração...

Pela Mulher que és
e pela Namorada que foste...
desejo-te o melhor do Mundo.
=^.^=
(última vez que usarei esta marca)
porque é altura de fechar mais um capítulo da minha vida e iniciar outro


Obrigada por tudo o que me deste!!


domingo, 16 de outubro de 2011

Não será para sempre...

...mas por vários motivos, preciso de me ausentar por algum tempo. Irei visitar os vossos Blogs, comentar e deixar um beijo fanfarrão no vosso Coração. 

Entretanto... Fiquem na Paz do Amor e um beijo hiper fanfarrão em vocês.
Inté!!!!



quinta-feira, 13 de outubro de 2011

Ah... se eu pudesse...



Se eu pudesse colher estrelas,


todo dia eu levaria uma para você.


Se eu pudesse chegar ao sol


eu pegaria um raio de luz só para você.


Se eu pudesse encontrar o pote do arco iris


eu daria todas as cores para você.


Eu faria isso tudo só por você!


Se eu pudesse chamar todos os passarinhos


eu os faria cantar para você.


Se eu pudesse construiria uma montanha só sua para


para que você descansasse mais perto do céu.


Se eu pudesse eu isolaria uma floresta onde só você


pudesse entrar, ir ao seu próprio encontro e respirar a paz.


Eu faria isso tudo só por você!


Se eu pudesse eu lhe levaria todas as alegrias


do Universo naqueles dias em que se sente triste.


Eu criaria um lugar especial feito só para você.


Um lugar onde você pudesse achar serenidade, estar só consigo


e se refazer dos seus cansaços.


Se eu pudesse apagar os seus problemas


eu usaria toda a minha força para faze-los desaparecer.


Eu faria isso tudo só por você!


... Mas não sei colher estrelas, não posso chegar ao sol


nem sei aonde está o pote do arco iris.


Não sei chamar os passarinhos


nem sou capaz de construir montanhas.


Não tenho licença para isolar uma floresta


nem posso livrar você de todos os problemas.


Mas eu sei que posso dar-lhe o que de mais forte existe em mim :


esta vontade de ver você feliz e de estar sempre aí ...

... com você até o fim

domingo, 9 de outubro de 2011

Balada de Sempre

Espero a tua vinda
a tua vinda,
em dia de lua cheia.

Debruço-me sobre a noite
a ver a lua a crescer, a crescer...

Espero o momento da chegada
com os cansaços e os ardores de todas as chegadas...

Rasgarás nuvens de ruas densas,
Alagarás vielas de bêbados transformadores.
Saltarás ribeiros, mares, relevos...
- A tua alma não morre
aos medos e às sombras!-

Mas...,
Enquanto deixo a janela aberta
para entrares,
o mar,
aí além,
sempre duvidoso,
desenha interrogações na areia molhada...

Fernando Namora, in 'Relevos'

Fotos de David Hamilton

A passear pelo Facebook, encontrei uma foto deste senhor que me despertou muito interesse. Fui ao Tio Google para encontrar mais informação e descobri fotos bem interessantes . Deixo aqui algumas e espero que gostem.

quarta-feira, 5 de outubro de 2011

O Verdadeiro Gesto de Amor... ( Parabéns a Nós)

Aquilo que de verdadeiramente significativo podemos dar a alguém é o que nunca demos a outra pessoa, porque nasceu e se inventou por obra do afecto. O gesto mais amoroso deixa de o ser se, mesmo bem sentido, representa a repetição de incontáveis gestos anteriores numa situação semelhante. O amor é a invenção de tudo, uma originalidade inesgotável. Fundamentalmente, uma inocência.
Fernando Namora, in 'Jornal sem Data'
Uns bolinhos para comemorar o dia em que nos conhecemos... parece que foi ontem e, como tu disseste, parece que nos conhecemos há muito tempo. Apesar de tudo, estou a gostar desta nossa nova fase, de ti...mesmo sem saber o que será daqui para a frente. Seja como fôr, PARABÉNS A NÓS!!!!!
*********** =^.^= ***********

E Mais uma História sobre Cupido...

E PORQUE O AMOR É CEGO...
Há muitos e muitos anos, tantos quantos nem se pode contar, narra a lenda, a paz reinava no Olimpo dos deuses e a felicidade na Terra dos homens...
A fortuna imperava nos países, a paz entre as nações, a harmonia entre os lares, e o amor entre os afortunados casais...
Até que um dia uma mulher da Terra traiu o marido com um deus do Olimpo. E dessa união adúltera nasceu uma filha muito louca, tão louca que lhe deram o nome de “Loucura”...
Os deuses do Olimpo ficaram preocupados e fecharam as portas do celestial monte - residência divina - para que jamais a menina Loucura violasse os portões sagrados...
Entretanto...
Certa vez, brincando nos jardins do Olimpo, o menino Cupido, Deus do Amor e filho da Deusa Vênus, quando brincava nas majestosas aléias, encontrou “Loucura” que conseguira burlar a vigilância e penetrar os divinais jardins dos deuses...
Logo ficaram amigos. Brincavam juntos, corriam pelos corredores e aléias ajardinadas em incansáveis brincadeiras, mesmo a contragosto da mãe, Vênus.
Vez por outra discutiam. Brincavam e brigavam, como todas as crianças.
Vênus proibira terminantemente que o filho se encontrasse com a pérfida “Loucura”, afirmando que ela seria a causa de todos os infortúnios no Olimpo dos Deuses e na Terra dos humanos...
Mas criança é criança e Cupido jamais obedeceu à divina mãe.
Encontrava-se de vez em quando com a nova amiguinha para os folguedos infantis, alegres e inocentes de todas as crianças, sejam filhos de deuses ou de humanos...
E Cupido e “Loucura” brincavam e brigavam, brigavam e tornavam de bem, como fazem as crianças normais...
Numa dessas discussões Loucura empurrou Cupido que bateu com a cabeça em uma rocha e ficou desmaiado...
Chamada ao local, a mãe Vênus, vendo o filho ensangüentado, desmaiado sobre a rocha, segurou-o nos braços e, enlouquecida pela dor, procurou Asclépio - o Deus da Medicina...
Após os exames de praxe, Asclépio, sentenciou:
- Cupido não morrerá porque é um deus, e como tal imortal... Mas o ferimento é grave, provocou uma concussão no cérebro...
Olhou com piedade a Deusa Mãe e concluiu:
- Cupido ficará cego para sempre. Jamais verá a luz do Sol!
Desesperada e cheia de ódio, Vênus clama por vingança. E exige um Conselho dos Deuses para julgar “Loucura”...
No Julgamento, cada Deus pronuncia a sua sentença.
O Deus Mercúrio - Deus do Comércio - propôs um pagamento em ouro, como compensação pela gravidade do crime...
Marte - o Deus da Guerra - sentenciou a Lei do Talião: “Loucura” provocou a cegueira de Cupido. Que furem os olhos da criminosa para que fique cega também...
Em seguida, falou a Lua:
- “Como mãe, jamais permitirei a terrível pena do Talião: proponho que “Loucura” seja encerrada em uma masmorra escura e que, como Cupido, jamais veja a Luz do Sol”...
Assim cada deus afirmou a sua sentença.
Finalmente falou Saturno - Chronos - o Deus do Tempo, regente da Lei e do Carma:
- “Nada do que foi proposto restituirá a visão a Cupido. Como ele não pode caminhar sozinho porque está cego, sentencio que Loucura seja condenada a guiar pelo braço o menino Cupido, por todos os lugares, e por toda a eternidade”...
E esta foi a sentença confirmada pela unanimidade dos deuses.
Por isso, amados leitores, ainda hoje, Cupido - o Amor - é cego e guiado por uma louca... e os amantes perdidos nos desgostos, entre ciúmes e traições, vivem, na maioria das vezes, e com raras e maravilhosas exceções, infelizes...
Mas os deuses são generosos.
Para amenizar o carma humano e ajudar a resgatar o amor, criaram a Astrologia, e ensinaram aos astrólogos a arte de interpretar o destino das pessoas em geral e dos amantes em particular, através da análise dos horóscopos... para ajudá-los nos momentos mais difíceis, sempre de acordo com os trânsitos planetários e estelares...
O horóscopo individual orienta como administrar a existência, para tornar a vida mais segura e mais feliz...
A Progressão anual ensina como administrar a vida ao longo do tempo...
E a sinastria, ou astropedagogia, ensina como administrar o amor para a felicidade dos casais e para o fortalecimento da família humana...

A História de Cupido e de Psique

Psique era uma jovem tão linda que Vênus passou a ter ciúmes dela. A deusa deu ordens a Cupido para induzir Psique a apaixonar-se por alguma criatura de má aparência, porém o próprio Cupido tornou-se seu amante. Cupido a pôs num palácio, mas somente a visitava na escuridão e a proibiu de tentar vê-lo. Movidas pelo ciúme as irmãs de Psique disseram-lhe que ele era um monstro e iria devorá-la.
Certa noite Psique pegou uma lamparina e iluminou o quarto para ver Cupido adormecido. Excitada diante da visão de sua beleza ela deixou cair sobre Cupido uma gota do óleo da lamparina, e o despertou. Por causa disso o deus abandonou-a, ressentido pela sua desobediência. Sozinha e cheia de remorsos Psique procurou o amante por toda a terra, e várias tarefas difíceis lhe foram impostas por Vênus. A primeira delas foi separar na escuridão da noite as impurezas de um monte enorme de várias espécies de grãos, porém as formigas apiedaram-se de Psique e vieram em grande número para realizar a tarefa por ela.
 
Cupido fica encantado com a
beleza de Psique

(Maurice Denis)
E assim, por um meio ou por outro, todas as tarefas foram executadas, exceto a última, que consistia em descer ao Hades e trazer o cofre da beleza usado por Perséfone. Psique havia praticamente conseguido realizar a proeza, quando teve a curiosidade de abrir o cofre; este continha não a beleza, e sim um sono mortal que a dominou. Entretanto Júpiter, pressionado por Cupido, consentiu finalmente em seu casamento com a amante, e Psique subiu ao céu.
"Embora sem um templo, embora sem altar!"
A história de Cupido e Psique é, geralmente, considerada alegórica. Psique em grego significa borboleta como alma. Não há alegoria mais notável e bela da imortalidade da alma como a borboleta, que, depois de estender as asas, do túmulo em que se achava, depois de uma vida mesquinha e rastejante como lagarta, flutua na brisa do dia e torna-se um dos mais belos e delicados aspectos da primavera. Psique é, portanto, a alma humana, purificada pelos sofrimentos e infortúnios, e preparada, assim, para gozar a pura e verdadeira felicidade.
Nas obras de arte, Psique é representada como uma jovem com asas de borboleta, juntamente com Cupido, nas diferentes situações descritas pela fábula.

Caetano Veloso e Maria Gadú em Portugal

Caetano Veloso e Maria Gadú vêm actuar juntos a Portugal. O concerto vai acontecer no dia 3 de Novembro no Pavilhão Atlântico, em Lisboa, e a 5 de Novembro no Pavilhão Rosa Mota, no Porto.
Os bilhetes para assistir ao espectáculo custam entre 25 € e 60 €.
Este concerto a duas vozes já aconteceu no Rio de Janeiro e passará agora por terras lusas.

Fonte: http://www.festivaleiros.com/caetano-veloso-e-maria-gadu-em-lisboa-e-porto/
 
Estou a pensar seriamente em oferecer a mim mesma como prenda de aniversário um bilhete para ver o concerto no Porto...

sábado, 1 de outubro de 2011

Selo das 5000 Visitas

Mais uma vez venho agradecer a todos os que por aqui passam, deixam um pouco de si e levam um pouco de mim. Pelo carinho, pelos beijinhos, pelas dicas, por estarem comigo nos dias bons e menos bons,  por acompanharem o percurso do Cupido Fanfarrão desde o início e mesmo aqueles que pouco sabem sobre este Cupido, pelas pessoas que tenho conhecido na Blogosfera e por tudo aquilo que me têm ensinado sobre o Mundo Virtual e Real... o meu Muito Obrigada a todos de Coração e espero que este meu Cantinho vos faça companhia de vez em quando e vos aqueça o coração!!!!! 
Beijos Hiper Fanfarrões e fiquem na Paz do Amor.

STOP
Pensavam que se íam livrar das tarefas do Selo???? NãNã... desta vez tenho uma tarefa para vocês mas é bem simples: é só comentar e deixarem a vossa opinião sobre o Cupido Fanfarrão. Tarefa bem fácil ;)

Encontramo-nos na Blogosfera ******




É a primeira vez que me apaixono e sinto paz ao mesmo tempo. Ou encontrei a pessoa certa ou estou me tornando a mulher certa.  
Tati Bernardi
...Cada dia que passa mais um pouco, mesmo naqueles dias em que chocamos por tudo e por nada mas, no fundo, são esses dias que nos fazem conhecer, contornar as nossas diferenças e chegar onde queremos... até agora tem resultado, temos conseguido dialogar... Gostava que continuasse sempre assim...


sábado, 24 de setembro de 2011

Só um desabafo...

Ultimamente tenho-me deparado com cenas que só me deixam boquiaberta... não é nada comigo mas é triste ver a frieza de certas pessoas, o egoísmo, a falta de sensiblidade, a mentira e a falta de respeito. E quanto mais conheço essas pessoas, tenho a certeza que elas nunca irão mudar... e ainda por cima têm problemas de amnésia e não se cansam de se meterem na vida dos outros. Abre os olhos miúda antes que essa tua mania de manipular quem cai nas tuas teias te faça ficar sozinha... Palavras leva-as o Vento... As acções ficam para sempre.

quarta-feira, 21 de setembro de 2011

Ai que mistura...

De manhã, uma dose de Processamento de Texto misturada com Fonte de Alimentação, à tarde, filosofar sobre os malefícios do Telemóvel, and last but not the least, ao entardecer três horinhas de Excel e as suas fórmulas fantásticas... aiiiiii eu vou é dormir e sonhar com o Sistema Binário. Sweet Dreams for me!!!!


terça-feira, 20 de setembro de 2011

Nunca é demais...

Miminhos teus fazem-me tão bem... adoro a tua janela, o teu colchão e o teu beijoooooooooooooooooooooooooooooooo

quinta-feira, 15 de setembro de 2011

Segue o teu Destino

Segue o teu destino,
Rega as tuas plantas,
Ama as tuas rosas.
O resto é a sombra
De árvores alheias.

A realidade
Sempre é mais ou menos
Do que nos queremos.
Só nós somos sempre

Iguais a nós-proprios.

Suave é viver só.
Grande e nobre é sempre
Viver simplesmente.
Deixa a dor nas aras
Como ex-voto aos deuses.

Vê de longe a vida.
Nunca a interrogues.
Ela nada pode
Dizer-te. A resposta
Está além dos deuses.

Mas serenamente
Imita o Olimpo
No teu coração.
Os deuses são deuses
Porque não se pensam.


Ricardo Reis, in "Odes"

domingo, 11 de setembro de 2011

"Não existe nenhum passeio fácil para a liberdade em lado nenhum, e muitos de nós teremos que atravessar o vale da sombra da morte vezes sem conta até que consigamos atingir o cume da montanha dos nossos desejos." Nelson Mandela


sábado, 10 de setembro de 2011

Ausência...

O meu dolce far niente acabou e agora não tenho muito tempo e nem cabeça para vir ao meu Cantinho e nem visitar os Blogs. Ando ocupada com um curso que iniciei e que me ocupa o dia todo, estou a apostar na minha formação, melhorar as perspectivas para o futuro...
O pouco tempo que tenho é para pôr o namoro em dia e relaxar.
Espero que estas mudanças valham a pena e que eu seja capaz de levar até ao fim os meus planos.
Por enquanto tudo bem e espero que continue assim.

Mas estou muito bem e feliz, a minha amada também está em mudanças e parece que tudo corre de feição... agora é só adaptar-nos às rotinas de cada uma e fazer com que tudo dê resultado.
Amanhã tentarei colocar as visitas em dia e ver o que vocês andaram por aí a tramar...

Beijos hiper fanfarrões para todos os que por aqui passam e deixam um pedacinho de vocês no meu Cantinho.

E toneladas de beijos daqueles bem gulosos para ti, MEU AMOR, por me aturares quando estou mais chata ou carente, e desejo que as mudanças que também estás a passar dêem frutos e que a partir de agora tudo siga o seu rumo, sem sobressaltos e tudo na Paz... Um dia de cada vez, sem stresses...











Liberdade de Escolha

Nós e os outros. O que fazemos e o que exigimos. O que pensamos e como nos comportamos, num jogo entre o nosso «eu» interior e o que a sociedade nos impõe, como numa peça de teatro em que somos actores num momento e simples figurantes no passo seguinte. Figurantes no nosso próprio mundo. Mas figurantes activos que, como espectadores, actuam com a sua passividade. Ao impormos aos outros regras ou, se preferir, ao escondermo-nos atrás da nossa indiferença, restringimos a nós próprios a liberdade de agir. E deixamos a sociedade continuar a marcar o ritmo. E a dinâmica das nossas vidas. Na maior parte do tempo nem nos apercebemos que entrámos num campo minado, que contribuímos para uma realidade castradora e para viver numa estrada de sentido único sem saídas secundárias. Somos vítimas da nossa própria indiferença e arrogância. A arrogância de julgar os outros. Através de estudos científicos, estatísticas, investigações estabelecemos regras. Não se deve fumar, devemos ser heterossexuais, devemos viver uma relação monogâmica, temos de ter uma carreira bem sucedida, uma família tradicional, tempo para os nossos filhos, amigos, um emprego, uma casa, temos de ter hobbies... E pior ainda, temos de ser felizes. Sim, não vale a pena queixarmo-nos, não há lugar para tristezas ou depressões. Há sempre quem esteja pior que nós. Então por que é que não somos felizes? É neste campo,neste tabuleiro em que nos mexemos. E fomos nós que o montámos, que o alimentámos e que o deixámos perpetuar-se dia após dia, ano após ano. Podemos não concordar, mas fugimos do conforto, não o pomos em causa, não lutamos contra ele. E ele, o mundo das regras estabelecidas, que tudo decide e nos impõe, que nos asfixia todos os dias um pouco mais, mata-nos a vontade de sermos nós próprios e de escolhermos o nosso caminho. E quando um dia, pontualmente, decidimos que é demais, que neste ponto em concreto, está na hora de dizer «não», cai-nos tudo em cima. E sentimo-nos perdidos, sentimos que não é justo. Mas fomos nós, nas pequenas coisas do dia-a-dia, que mantivemos este mundo. Somos nós quando aceitamos as pequenas regras, as pequenas «ordens» desta sociedade de valores hipócritas que, muitas vezes, não concordamos e que maioritariamente nem percebemos que lhe demos este poder. Pior, quando temos regras para nós e para os outros, para a nossa vida privada, criamos este muro. E um dia, este muro surge-nos pela frente. E aí parece um beco sem saída.
(...) Como é que é possível obrigar-se alguém a amamentar o filho, como é que um homem pode culpar a mulher de futuras alergias do filho só porque esta não quer amamentá-lo, como é que a ciência, escudada em estudos científicos- alguns dos quais feitos essencialmente para países em desenvolvimento e outros que são assentes em planos impossíveis de cumprir na prática- resolve impor uma pressão a que, eles próprios, médicos, não se sujeitam. É a tal história de nós e os outros, de dois pesos e duas medidas. Do faz o que eu digo, não faças o que faço. A vida é muito mais do que cumprir uma série de pressupostos delineados por investigadores. Cada um de nós deve ser livre de fazer as suas escolhas, cada um de nós deve respeitar as escolhas dos outros. E se fizéssemos isso, não por altruísmo mas, em última análise, até por egoísmo, a nossa vida, a de todos, era muito mais transparente. E muito mais fácil. Porque o que hoje cobramos a alguém, amanhã vira-se contra nós. Esta é uma das regras da sociedade. E somos nós que mantemos esta sociedade a girar desta forma. Mas podemos mudar tudo. Se quisermos. (...) e pense, (...) um dia, vai ser você, noutra situação qualquer, a estar num beco sem saída. Não queira isso.


Vasco Galvão- Teles ( Editorial da Revista Happy Woman, Setembro 2011)

quinta-feira, 1 de setembro de 2011

Amor não se pede, é uma pena.
É uma pena correr com pulinhos enganados de felicidade e levar uma rasteira. É uma pena ter o coração inchado de amar sozinha, olhos inchados de amar sozinha. Um semblante altista de quem constrói sozinho sonhos. Mas você não pode, não, eu sei que dá vontade, mas não dá pra ligar pro desgraçado e dizer: ei, tô sofrendo aqui, vamos parar com essa estupidez de não me amar e vir logo resolver meu problema? Mas amor, minha querida, não se pede, dá raiva, eu sei. Raiva dele ter tirado o gosto do mousse de chocolate que você amava tanto. Raiva dele fazer você comer cinco mousses de chocolate seguidos pra ver se, em algum momento, o gosto volta. Raiva dele ter tirado as cores bonitas do mundo, a felicidade imensa em ver crianças sorrindo, a graça na bobeira de um cachorro querendo brincar. Ele roubou sua leveza mas, por alguma razão, você está vazia. Mas não dá, nem de brincadeira, pra você ligar pro cara e dizer: ei, a vida é curta pra sofrer, volta, volta, volta. Porque amor, meu amor, não se pede, é triste, eu sei bem. É triste ver o Sol e não vê-lo se irritar porque seus olhos são claros demais, são tristes as manhãs que prometem mais um dia sem ele, são tristes as noites que cumprem a promessa. É triste respirar sem sentir aquele cheiro que invade e você não olha de lado, aquele cheiro que acalma a busca. Aquele cheiro que dá vontade de transar pro resto da vida. É triste amar tanto e tanto amor não ter proveito. Tanto amor querendo fazer alguém feliz. Tanto amor querendo escrever uma história, mas só escrevendo este texto amargurado. É triste saber que falta alguma coisa e saber que não dá pra comprar, substituir, esquecer,implorar. É triste lembrar como eu ria com ele. Mas amor, você sabe, amor não se pede. Amor se declara: sabe de uma coisa? Ele sabe, ele sabe.
Tati Bernardi

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Ei! Sorria... Mas não se esconda atrás desse sorriso...
Mostre aquilo que você é, sem medo.
Existem pessoas que sonham com o seu sorriso, assim como eu.
Viva! Tente! A vida não passa de uma tentativa.
Ei! Ame acima de tudo, ame a tudo e a todos.
Não feche os olhos para a sujeira do mundo, não ignore a fome!
Esqueça a bomba, mas antes, faça algo para combatê-la, mesmo que se sinta incapaz.
Procure o que há de bom em tudo e em todos.
Não faça dos defeitos uma distancia, e sim, uma aproximação.
Aceite! A vida, as pessoas, faça delas a sua razão de viver.
Entenda! Entenda as pessoas que pensam diferente de você, não as reprove.
Ei! Olhe... Olhe a sua volta, quantos amigos...
Você já tornou alguém feliz hoje?
Ou fez alguém sofrer com o seu egoísmo?
Ei! Não corra. Para que tanta pressa? Corra apenas para dentro de você.
Sonhe! Mas não prejudique ninguém e não transforme seu sonho em fuga.
Acredite! Espere! Sempre haverá uma saída, sempre brilhará uma estrela.
Chore! Lute! Faça aquilo que gosta, sinta o que há dentro de você.
Ei! Ouça... Escute o que as outras pessoas têm a dizer, é importante.
Suba... faça dos obstáculos degraus para aquilo que você acha supremo,
Mas não esqueça daqueles que não conseguem subir a escada da vida.
Ei! Descubra! Descubra aquilo que há de bom dentro de você.
Procure acima de tudo ser gente, eu também vou tentar.
Ei! Você... não vá embora.
Eu preciso dizer-lhe que... te adoro, simplesmente porque você existe.

Charlie Chaplin

terça-feira, 23 de agosto de 2011

For =^.^=

E Hoje fiquei muito feliz por já estares melhor, por a vida te sorrir, nos sorrir... e viva ao Skype!!!! Deu para recarregar baterias, matar saudades, ver esse teu olhar e o teu sorriso que eu tanto gosto, mesmo que ainda um pouco tristes...

E os miminhos continuam... Selinho Again :P

O Cupido Fanfarrão recebeu mais um Selo, da famosa Amiga Deh, que está de parabéns. O seu Cantinho acaba de atingir as 20.000 visitas, e ela sempre atenta aos seus amigos e colegas blogueiros fez um Selinho Comemorativo dessa marca maravilhosa. Aqui o Cupido é fã e não passa um dia sem fazer uma visita, mesmo não tendo novidades. Com aquelas imagens maravilhosas e textos fantásticos, impossivel não ficar fã do     Blog da Deh. Bem, ela também percebeu que isto de receber Selos é muito bom mas dá uma preguiça ENORME quando chega à altura de realizarmos as tarefas, então ela foi muito simpática para nós e deu-nos uma tarefa bem fácil de realizar. Obrigada linda... e Muitos Parabéns pelas 20.000 visitas.

Tarefa:

Publicar uma imagem de algo que eu ache sexy, sensual, caliente... assim de queixo caído rsrsrsrs. Bem, o meu ponto fraco são lábios grossos. É algo que realmente me chama atenção, adoro bocas :P. Bocas preferidas:
1º Angelina Jolie ( claro que tem que ficar 1ª na lista, é a boca soberana), 
2º Lisa Ray,
3º Ruta Gedmintas,
4º Camila Grey,
5º Emily Blunt
6º Tabrett Bethell
7º Charlize Theron
8º Elena Anaya


Ruta Gedmintas, de Lip Service